terça-feira, 24 de abril de 2012

TEATRO SEIVA TRUPE - Campo Alegre - PORTO




   VÁ AO TEATRO
 


ADIVINHE QUEM VEM PARA REZARM/12

De 3 de Maio a 3 de Junho
Autor: Dib Carneiro Neto
Encenação: Júlio Cardoso
Cenografia: José Carlos Barros
Elenco: António Reis e Jorge Loureiro
Desenho de Luz: Júlio Filipe
Desenho de Som: José Prata
Local: Teatro do Campo Alegre - Porto
Horários: de 3ª a sábado: 21H45
Domingos: 16H00
Produção: SEIVA TRUPE
Sinopse:
Adivinhe Quem Vem Para Rezar trata de personagens masculinas, conversando sobre o que não foi falado durante os seus anos de convivência - ou de coexistência. Em foco, o universo masculino, com homens para quem conversar é complicado demais, feminino demais. Mas senão falam...
“Homem falando com homem pode ser um desastre.” Mas guardar tudo dentro de si também é desastroso, dolorido. Ressentimentos, lacunas, silêncios demais. Depois, como acertar o que não foi dito?"
"Lições, sermões, advertências e pregações. “Não adianta tanta fortaleza, o chão do mundo é feito de areia movediça...” “Quanta sabedoria repentina. Quanta amargura...” “É assim, é da natureza.” Um conselho de pai, vindo de uma citação de Jean-Paul Sartre, filósofo, sexo masculino: “A gente desfaz-se das nossas neuroses, mas não se cura de si próprio.”


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

CARNAVALESCO NACIONAL PORREIRISMO


CARNAVALESCO NACIONAL PORREIRISMO

É ver lideres partidários e parlamentares, Presidentes de Câmara, Presidentes dos Governos da Madeira e dos Açores, a nata dos pensadores e comentadores, todos altamente preocupados com a extinção de feriados e  dia de carnaval.

Semanas a discutir o sexo dos anjos como se não estivéssemos a viver uma situação de excepção, verdadeiramente dramática para muitos, com uma divida como nunca existiu, sem dinheiro e perto da banca rota.

Até D. Januário, Bispo das Forças Armadas se associou ao coro de reivindicações crónicas da Associação dos Oficiais das Forças Armadas, preocupados com promoções, a manutenção de privilégios de casta como estabelecimentos de ensino especial, Hospitais próprios, mordomias consideradas insustentáveis.

D. Januário não ignora a necessidade de reformar as Forças Armadas bem como muitas outras instituições .

Deve saber que não há dinheiro para manter tudo na mesma e que a tão reclamada equidade não será possível se nada for feito, se não houver reformas profundas, seriedade, solidariedade, se continuarmos a vender ilusões e a enganarmo-nos uns aos outros como até aqui.

 Otelo Saraiva de Carvalho, sempre fiel aos seus princípios, em recentes declarações sobre as Forças Armadas objecto de grande polémica, revelou uma coerência e uma consciência moral que eu não descortino nas palavras do Bispo das Forças Armadas.

Fiquei mesmo perplexo com o protagonismo mediático de D. Januário, só comparável ao assumido pelos mais destacados lideres políticos, pensadores e comentadores numa antecipação Carnavalesca de Nacional Patriotismo.

D. Januário vai mesmo mais longe e, a coberto de um manto de santidade, faz declarações  bombásticas quando afirma: «Já sentir o cheiro da queda do regime» - são palavras suas - e prossegue semeando ventos, anunciando tempestades… numa submissa aliança com interesses instalados que só acentuam as desigualdades.

Atitudes destas, contrárias a um verdadeiro espírito de fraternidade, não me levarão a deixar de pensar que todo o cristão se deve esforçar por pautar a sua conduta revestido do espírito de Cristo que sempre esteve ao lado dos mais desfavorecidos.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

TEATRO SEIVA TRUPE - PORTO

VÃO AO TEATRO
DIVIRTAM-SE!!!




Teatro
M/6

OS AGENTES DA ORDEM GRAMATICAL
- Como rindo se aprende a gramática da Língua Portuguesa -
De 10 de Janeiro a 17 de Fevereiro 2012

Autora: Maria Gabriela Funk
Direcção / Encenação / Dramaturgia: Bruno Schiappa
Direcção de Cena: Jorge Loureiro
Elenco: Joana Estrela, Joel Sines, Jorge Loureiro e Miguel Rosas
Desenho de Luz: Júlio Filipe
Desenho de Som: Bruno Schiappa
Fotografia: Anabela Gonçalves
Local: Teatro do Campo Alegre - Rua das Estrelas, s/nº, Porto
Horários: de 2ª a 6ª às 10H30 e às 15H00
Preço: Alunos: 4,50 €
Professores acompanhantes: gratuito

Sinopse: A originalidade deste texto teatral é grande e estamos seguros que ele vai agarrar os leitores e aqueles que destas personagens apenas recordam o nome. A Vida, que é o espectáculo do mundo, é que se revê nesta teatralização de conteúdos da disciplina de Português, mais precisamente, da aula de gramática. E que aula! Tem todos os ingredientes para resultar. (...)
O convívio com aquelas categorias-personagens, os agentes da ordem gramatical, que nesta peça adquirem carne e osso sobre o palco, vai enriquecer o imaginário linguístico dos escolares e restantes cidadãos, falantes e estudiosos da língua, a qual, convém ter presente, é a primeira instituição social: nada existe na sociedade sem que antes tenha sua existência na língua - pela concepção, pelo pensamento e pela fala."