quarta-feira, 5 de agosto de 2009

AUTONOMIA DOS AÇORES

No DIA DE PORTUGAL escrevi sobre a teia de interesses instalados que minavam as próprias Leis e referi, entre outras, a que permite a duplicação de contentores no cais de Alcântara e a Lei da Autonomia dos Açores.
Quanto e esta última o Tribunal Constitucional pronunciou-se, finalmente, pela inconstitucionalidade de uns tantos artigos, o que não me surpreendeu.
Surpresa foi a reacção do Senhor dos Açores ao declarar, como ouvi esta manha: «que não recebe lições de nenhum órgão de soberania». Só falta declarar estar acima de qualquer Lei Nacional.
Este Senhor, em arrogância supera o Senhor da Madeira.

Espero, agora, que alguém ponha cobro à muralha de contentores prevista para o cais de Alcantara.

2 comentários:

  1. De política percebo pouco. Do que me é dado ver, ouvir e observar, claro que tenho uma opinião e muitas vezes não consigo fazer de conta que não me diz respeito. É o meu país. É a minha gente.
    Portugal e ilhas estão cheios de políticos arrogantes, corruptos e mal formados.
    Má formação?! Não pela falta de "canudo" mas de chá e de bom senso. Atiram-se palavras que mais parecem seixos que se apanham do rio.
    Resolvem-se problemas (escondem-se) com palhaçada, festarolas e foguetes no ar. É fácil, é vistoso, enche o olhar e o ego.
    Recebi um convite na caixa do correio para a inauguração da avenida onde estou a viver. Fiquei brava. Porquê? Porque a mesma avenida sofreu obras no inicio da rua, esteve parada meses e agora andam a correr a “remendar”. Nesta rua ainda não foram ligados os colectores à rede pública, vai ser (não sabemos quando?) pela 15ª vez levantado o piso. As casas que foram pintadas, as paredes, as grades, voltarão a ficar sujas e velhas.
    E fomos convidados para a inauguração de quê??? Cortar fitas a quê??? Festejar o quê???
    Pois! ANO DE ELEIÇÕES!!!
    Pensarão que estamos cegos?
    Pensarão que nos fazem de otários?
    Cambada de palermas, é o que são. É um jogo onde as regras estão viciadas.
    Eu sou contra um mandato renovado por mais de duas vezes. Só assim será possível acabar com os compadrios, os favores os “tachos”.
    É um desabafo. Hoje estou como o tempo a Norte…Chato!
    Dida(flordeliz)

    ResponderEliminar
  2. É sempre com agrado que recebo os seus comentários. Neste caso, não é por simpatia, nem pelo tempo que por cá até tem estado bom.
    É pela falta de civismo deste Senhor que em presença duma decisão do TRIBUNAL declara «não receber lições de portuguesismo».
    É evidente que o Sr. vive na República das Bananas e precisa mesmo de lições de portuguesismo e de civismo.
    Olhe que dois mandatos é demais. Logo ao 1º. é o que se vê. Um grande abraço.

    ResponderEliminar