segunda-feira, 6 de julho de 2009

O MEL NEGRO DA TRADIÇÃO





A doce mensagem de paz e de harmonia que estes animais, em liberdade, nos transmitem é ensombrada pela visão da tourada.

Um cavaleiro, portador de ferros e esporas, espeta furiosamente os ferros no dorso do touro e as esporas nos flancos da montada que o carrega e o serve com nobreza, brilho e dedicação.
São valores que o agressor ignora, inebriado com o rasto de sangue que deixa nos animais e na arena.

Defendem ser tradição e defendem ainda amar os animais!!!
É o primado da barbárie.
Para quando o primado do humano?

2 comentários:

  1. Belas imagens. Belos exemplares de animais.

    Não gosto de tourada. Sei que não gosto!
    Assim como não gosto de caça. Não gosto de pesca.
    Não gosto de aves em gaiolas. Não gosto de cães em jaulas.
    Mas...
    Há muitos que gostam. Serei eu a mais correcta? Serei? Eu não sei?!
    Apenas tenho a certeza que não gosto!
    Um abraço (flordeliz = dida)

    ResponderEliminar
  2. Sou da sua opinião, menos quando se interroga.
    Ao ver na TV uma tourada só me apercebi da forma como o cavaleiro massacra o cavalo quando esta o trocou por um branco. Ai era visivel o sangue provocado pelas esporas no dorso do cavalo. Os animais também teem de ser tratados com dignidade. Obrigado pelo seu comentário.

    ResponderEliminar