segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

EGIPTO - Templos de Hórus e Sobek



NILO
O NILO É COMO UMA SERPENTE ENCANTATÓRIA. MILENAR FONTE DE VIDA ARRANCOU DAS AREIAS DO DESERTO UMA POPULAÇÃO DOUTRO MODO CONDENADA.
NADA MELHOR PARA A SAÚDE DO ESPIRITO QUE NAVEGAR NAS SUAS ÁGUAS ESCURAS, BALIZADAS POR UMA VEGETAÇÃO FILHA DE FECUNDAÇÃO DIVINA.
O QUARTO A BORDO SITUAVA-SE AO NÍVEL DO LEITO DO NILO. COMO DISPUNHA DE UM VIDRO FIXO EM TODA A EXTENÇÃO DA PAREDE EXTERIOR, PERMITIA SENTIR O SUAVE DESLIZAR DA EMBARCAÇÃO, ESCUTAR O ROMPER DAS ÁGUAS E COMTEMPLAR O SEU AZUL FORTE QUE SE CASAVA COM O DOURADO DAS AREIAS DO DESERTO EM CONTRASTE COM O PÁLIDO AZUL DO CÉU.
AO MEL DOURADO DE CADA DIA SEGUE-SE A MAGIA DO ENTARDECER, O ESPLENDOR DE UM CÉU QUE DE PALIDO ASSUME TONALIDADES INVEROSIMEIS ATÉ FICAR COBERTO DE ESTRELAS. SENTIMOS, ENTÃO, QUE UMA BRISA SUAVE NOS ACARICIA, COMO UMA DIVINDADE HIPNÓTICA QUE NOS ATINGE A ALMA.

Sem comentários:

Enviar um comentário